Mudanças de hábitos durante a pandemia

Um estudo feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas de Saúde (NIHR), Unidade de Pesquisa de Saúde na King’s College, Londres, em parceria com a agência de saúde pública da Inglaterra e em colaboração com a Universidade de East Anglia e a Universidade de Newcastle, enumerou os fatores DESORGANIZADORES DENTRO DA PANDEMIA:

- Duração da quarentena: dentro da quarentena a cronologia do tempo passou a ser bem mais percebida;
- Medo da infecção: estar infectado ou infectar principalmente os familiares;
- Frustração e tédio: ser impedido é frustrante. Ser impedido em vários sentidos é desestimulante;
- Suprimentos Inadequados: o adoecer social dentro de uma pandemia;
- Não conseguir receber cuidados médicos regulares: colapso é o que menos se espera no caos;
- Informações Inadequadas: é preciso informar, de forma segura, a população para que a mesma saia o quanto antes dessa situação;

As alterações repentinas dos hábitos de vida na sociedade diante da Pandemia da Covid-19 está propondo ao mundo, por algum tempo, parar. Essas demandas estão impregnando corpos sem data prevista para terminar. E o apelo maior é: como organizar as coisas?

O momento pandêmico vem desorganizando tanto a mente quanto o corpo das pessoas. Conseguir “dar conta” das demandas que surgem no decorrer do dia passou a ser o desejo da grande maioria da população atingida ou não pela pandemia. E a alteração no comportamento alimentar vem tomando destaque dentro do isolamento. 

No dia-a-dia a manutenção de um estilo de vida mais saudável requer cuidados, atenção e dedicação. Aí você se percebe comendo mais, priorizando alguns alimentos mais enérgicos e calóricos, quantidades maiores, e inicia ou reinicia uma relação desordenada com a alimentação. 

Respire! Deve estar dentro do esperado, afinal você está no meio de um processo de enfrentamento diário de desafios. Não é justo com você, nem com seu corpo. Será que adotar a mesma rotina e os mesmos hábitos de antes é possível? Você consegue ou suporta? Então a proposta de adequar uma nova rotina para esse momento está sendo importante. 

Reorganizar horários, espaços, números de refeições, tipos de pratos e principalmente, a quantidade, é o esperado para tentarmos manter o bem-estar na relação com alimento durante a quarentena.

Quando tiver FOME, invista nas orientações e propostas nutricionais e quando sentir aquele APETITE recorra às suas memórias, histórias e tente entender o porquê pela busca, procura e escolha por um determinado alimento ou comida.

Ter a sensação da perda de liberdade, de escolhas, de poder “ir e vir” reflete
diretamente em nossos resultados nesse momento. Assim como na nossa rotina.
 
Não temos respostas para esta nova urgência. Investir no tempo através de uma rotina nos dar a impressão de estarmos iniciando e finalizando as coisas, e isso passou ser revigorante nos tempos pandêmicos.

Texto: Suyan Lima - Psicóloga Clínica do Instituto Baiano de Obesidade.
Editorial, 23.JULHO.2020 | Postado em Geral
  • 1
Exibindo 1 de 1

Carregando...